Terreno ou casa pronta?

No último post (se você não leu, clique aqui e leia seu sem vergonha) falamos sobre eliminar categorias de imóveis para dar foco para as buscas, desse modo, os futuros moradores em questão, tiveram suas razões para buscarem apenas terrenos, casas ou sobrados fora de condomínios. Hoje vamos começar entender o que levar em consideração na escolha entre um terreno e um imóvel pronto e iniciar o processo de ponderação.

Na minha humilde opinião, o fator mais decisivo em relação aos terrenos, é que estes são para pessoas com pique para enfrentar obras, bem como edificações com muitas manutenções a serem feitas. No caso em questão, as casas que necessitam de reformas, foram descartadas pelo perfil dos futuros moradores, que acreditam que se for para ingressarem em uma obra, que seja para ter uma moradia onde estejam cientes de tudo o que está por dentro das paredes.



Então se pergunte agora mesmo: Você está aberto a receber uma obra na sua vida? Se a resposta for sim ou talvez então sigamos nosso baile, caso contrário seu perfil será compatível com imóveis novos ou que serão entregues prontos para morar.


No caso em acompanhamento, a resposta seria um sonoro "talvez", embora houvesse uma ideia inicial de construir que foi perdendo seu brilho até o presente momento. Acredito que colocar na ponta do lápis o valor e o tempo de construção ou reforma, são fatores realmente decisivos para seguir com a ideia de um imóvel muito usado ou terreno. Assim sendo chegou a hora de traçar um plano de construção em um terreno para esse jovem casal e orçá-lo, ainda que a grosso modo, para comparar com o valor dos imóveis prontos ou que não demandem manutenções iniciais. Mas por onde começar esse plano?

Colocando aqui o tico e teco para trabalhar, inicialmente (significa que pode sofrer ajustes ao longo do caminho) vou seguir o seguinte plano: 1) Pensar em uma planta, que atenda aos futuros moradores (não precisa ter grandes detalhes, o dado mais importante a se obter dela será a metragem da área construída) 2) Calcular o preço médio da construção com base no preço do metro quadrado da construção civil mais atualizado (pode ser obtido em uma busca na internet e é categorizado pelo padrão do acabamento) 3) Calcular o valor de muros, portões, ligação hidráulica e elétrica. 4) Estipular cenários de tempo para construção, baseados no poder de investimento dos futuros moradores. No próximo post veja essa lista sendo executada!! xoxo

Olá, que bom ver você por aqui!

Sou Isabelle de Campos e esse é o meu espaço para mostrar como eu vejo e vivencio a engenharia civil.

Fique por dentro de todos os posts

  • Instagram

Compartilhe a sua opinião

© 2021 por Maria vai sem as outras. Orgulhosamente criado por Isabelle de Campos